Beato Inácio e Companheiros

Aclamados como Padroeiros do Brasil desde o mártírio em 1570,os 40 Mártires jesuítas são um exemplo sempre atual do amor incondicional ao evangelho de Cristo! Conheça a BIOGRAFIA...


Cadastre-se e receba nosso informativo:
E-mail: Cadastrar | Remover
Canais
Principal
COMECE AQUI !
Patrocinadores
Fale Conosco
Santos
ELENCO GERAL
Beato Inácio e Com.
São Roque e Com.
São José de Anchieta
Santa Paulina
Santo Antônio Galvão
Beatos Mártires RN
Beato Eustáquio
Beato Mariano
Beata Albertina
Beatos Manuel e Adílio
Beata Lindalva
Beata Bárbara Maix
Beata Dulce
Beata Nhá Chica
Beata Assunta Marchetti
Beato Pe. Victor
Ven. Teodora Voiron
Ven. Antonieta Farani
Ven. Rodolfo Komorek
Ven. Attilio Giordani
Ven. Ir. Serafina
Ven. Me. Ma. Teresa
Ven. Dom Viçoso
Ven. Marcello Candia
Ven. Pelágio Sauter
Ven. Pe. João Schiavo
Ven. José Marchetti
Ven. Daniel de Samarate
Outras Biografias
Temas
Papa Bento XVI
Santos do Brasil
Processos de Canonização
Beatificação e Canonização
Comunhão dos Santos
 
E-mail:
Senha:
 
» Santos do Brasil » Antonieta
 

- Venerável Antonieta Farani

 

Venerável Madre Antonieta Farani

(26/07/1906 - 7/05/1963)

 

religiosa passionista

 

 

Maria Concetta Farani aprendeu, no sofrimento, como perdoar, e transmitiu a sua mãe e irmãs em primeiro lugar e depois as suas co-irmãs passionistas, o grande dom de saber perdoar sempre. Este foi o objetivo de sua vida.

Seus pais eram italianos e vieram para o Brasil, primeiro o pai, Giuseppe Farani, e mais tarde a mãe, Rafaela Milito, fixando-se em Curitiba , PR. Estabeleceram-se como comerciantes de tecidos, chegando a acumular uma razoável riqueza, fruto de trabalho honesto e operoso.

À Maria, nascida em 26 de julho de 1906, primeira filha, sucedeu Rosa Beatriz e Giovanni. Mas quando o casal aguardava o nascimento do 4º filho,  uma grave e repentina pneumonia levou Giuseppe, deixando a dor na família. Era o dia 16 de setembro de 1913. Dois meses depois nasceu uma menina, que recebeu o nome de Josefina.

O grande golpe surgiu quando Rafaela, atormentada pela perda, foi procurada por pessoas que se apresentaram, aparentando retidão e vontade de servir, como responsáveis por assuntos de herança e lhe solicitaram sua assinatura. Sem ter lido o conteúdo, confiante, ela assinou ao pé da folha, agradecendo pela ajuda que estava recebendo. Tais senhores desapareceram e, dias depois veio a saber que assinara a bancarrota de seu marido, confirmando que ele deixara mais dívidas que lucros: era a falência que incluía todas as suas propriedades. A sentença judicial obrigava-a a deixar a casa com todos os seus pertences, acomodando-se em uma pequena casa, de favor, e procurando trabalho para sustentar seus filhos. Mais uma vez foi procurada pelos “dignos senhores”, para nova assinatura; mas ela, alertada, nada assinou, conseguindo assim salvar alguma coisa tempos depois, na justiça. Para indenizar a falência no momento, seus pertences pessoais, o estoque das lojas, tudo foi arrematado em leilão por preços irrisórios. Na miséria a que foi submetida, à falta de recursos, seu filhinho Giovanni não resistiu e morreu.

Algum tempo depois Rafaela veio a saber que seu cunhado Nicolau, irmão de Giuseppe, e sua esposa Angélica, ambos padrinhos de batismo de Maria, estavam envolvidos na traição, naturalmente sendo beneficiados com sua desgraça. Estes parentes chegam a se apresentar a Rafaela, confessam seu envolvimento e pedem perdão. Rafaela apenas diz: “Não te posso perdoar, que Deus te perdoe”. Maria, que havia assistido a cena, ficou perturbada e procurou com muito fervor, diante do sacrário, ajuda para tão grande dor; e o silêncio de Deus, o silêncio que ensina o perdão, despertou em sua alma e se instalou para sempre, fazendo dela a “Apóstola do perdão”.

Por esta ocasião, Maria foi aprovada em concurso para professora e nomeada para uma escola na zona rural, na Várzea do Capivari, para onde a família se mudou. Mais tarde sua irmã Rosa Beatriz também conseguiu cargo semelhante, melhorando sensivelmente a situação financeira da família.

No ambiente de trabalho, Maria entrou em contato com os Padres Passionistas que davam assistência religiosa na região. Uma manhã, quando em Curitiba, durante a missa, voltada para o altar, vendo a Hóstia consagrada na elevação, percebeu a grande mensagem nas palavras “para o perdão dos pecados”. Saindo da igreja foi procurar seus padrinhos, que a receberam com carinho e repetiram o pedido de perdão. A resposta foi simples; “Deus nos ama, tudo perdoado”. Ao contar a sua mãe o que havia feito, ela também se predispôs, totalmente, ao perdão.

Algumas dificuldades e tropeços ainda se apresentaram, mas a família sempre contando com a proteção divina, tudo superou.

Com decisão judicial a seu favor puderam receber o que ainda restava dos bens do pai, e assim sua mãe e suas irmãs voltaram para a Itália, sua terra natal. Nessa mesma época, a jovem Maria seguia outro caminho: tocada pelo Espírito Santo ao receber o sacramento da crisma em 17 de fevereiro de 1926, aceitou o chamado de Deus e entrou na Congregação das Irmãs Passionistas. Recebeu a vestidura em 14 de agosto de 1927, véspera da festa da Assunção. Em dezembro do mesmo ano fez seus votos secretos e um ano depois, os votos públicos. Passou a chamar-se Irmã Antonieta de São Miguel Arcanjo.

A Congregação das Irmãs Passionistas foi fundada pela Marquesa Maria Madalena Capponi, em 1771, em Florença, Itália. Seu carisma é “Anunciar o  Evangelho da Paixão com a vida e o apostolado”. As irmãs devem viver total união com Jesus Crucificado, tanto na oração como no trabalho cotidiano, dedicando-se e à obra educativa e assistência  a menores carentes. Seu trabalho também se desenvolve em hospitais, asilos e atividades paroquiais. As irmãs passionistas estão no Brasil desde 7 de dezembro de 1919.

A atividade de Maria Farani, agora Irmã Antonieta, se tornou intensa, passando do cuidado com crianças, delinqüentes, idosos, doentes, sempre intercalando horas seguidas de oração e adoração diante do sacrário. Passou por várias casas da Congregação, seja como superiora de Hospital, seja de Colégio ou Asilo. Em carta para sua mãe diz: “Minha felicidade não mudou!... Vou de um lugar para outro, de um ofício para outro e minha alma não se move do seu centro. Deus está em nós e nós Nele”.

Após a profissão perpétua, depois de muita insistência, com a anuência da Superiora Provincial, conseguiu de seu confessor a licença de emitir o Voto do Amor. Por esse voto, nada mais faria a não ser movida pelo amor mais puro e consagrado ao Divino Esposo

Sua vida foi profundamente marcada pela Eucaristia, e esta sempre lhe falava do perdão de Deus. Sua maior alegria era permanecer diante do sacrário, e saber que vivia sob o mesmo teto que Jesus sacramentado, respirando e vivendo nessa mesma atmosfera.

Como Conselheira ou delegada para os capítulos gerais da Congregação, Irmã Antonieta por três vezes teve que viajar à Itália, onde reencontrou a mãe e as irmãs. Após ter sido nomeada Superiora Provincial das Irmãs passionistas no Brasil em 1º de janeiro de 1963, sente os primeiros sintomas de uma grave doença: um tumor no cérebro, que a deixou cega. Apesar do mal contraído, como superiora continuava a orientar suas religiosas. Seu sofrimento é silencioso, todo entregue a Cristo Crucificado; ela se sente presa, também na cruz, junto a Ele. Também com Jesus, entregou o perdão e imolou-se pelos pecadores.

Consciente que está no fim, se dispõe toda ao Divino Salvador e, recebendo o Viático, se entrega a Deus: é o dia 7 de maio de 1963.

Seu corpo foi levado para o cemitério São Paulo, no jazigo da Congregação. A 4 de fevereiro de 1980 processou-se a transladação da urna para a capela do Colégio Santa Luzia, onde ela iniciou sua vida religiosa. Junto à urna uma placa de bronze com os dados essenciais da sua vida e a frase extraída do seu diário: “Perdida no oceano imenso de suas graças”.

Irmã Antonieta deixou páginas de grande fervor e amor em seu diário, como também cartas dirigidas a sua mãe. Sua devoção à Maria Santíssima e à Eucaristia se refletem em doces orações que podem também nos levar ao grande amor de Deus.

 

Oração

Ó Jesus, que do seio do Pai, trouxestes à terra o fogo do Vosso Amor,

desejando ardentemente incendiar todos os corações e com ele abrasastes o coração de vossa fiel serva Irmã Antonieta, transformando sua vida num holocausto de amor para convosco e para com os irmãos, concedei-me a graça de Vos amar acima de tudo e de todos e de imolar-me para a salvação de meus irmãos, assim como

Vós vos entregastes à morte por mim.

Dignai-vos glorificar vossa serva Irmã Antonieta, e concedei-me por seus méritos e por sua intercessão a graça ... (pedir a graça desejada), que humilde e confiadamente Vos peço. Amém.

 

Dies natalis: 7 de maio

Restos mortais: na capela do colégio Santa Luzia (R. Cônego Eugênio Leite, 825, São Paulo, SP)

Para visitação dos fiéis:

Casa da Memória

Rua Bom Jesus, 881

80035-109  Curitiba PR

Tel.: (041) 252-4663

Causa de canonização: sediada na Arquidiocese de São Paulo. Ator: Congregação das Irmãs Passionistas.

Nihil obstat em 11/maio/1982; processo informativo diocesano iniciado em 13/out/1982 e encerrado em 26/dez/1985, tendo como postulador o Pe. Boaventura Mansur Guerios, passionista. Após elaboração da POSITIO, aprovação pela comissão dos consultores teólogos em 28/jan/1992 e dos Padres Cardeais e Bispos em 28/abr/1992; Decreto das Virtudes Heróicas em 13/jun/1992.

Bibliografia sobre a Venerável Me. Antonieta Farani:

Ven.Antonieta FARANI. O amor Filial Vence Distancias: Cartas à mãe 1927-1947. São Paulo: Editora Ave Maria, 1989.

Pe. Afonso de SANTA CRUZ. A freira do perdão. Curitiba: Edições Rosário, 4a. ed., 1982, 173 p.

Pe. Silvio MAZZAROTTO, cp. A cantora do Amor. São Paulo: Editora Ave Maria, 1990.

Uma vida de amor (Biografia em quadrinhos). Irmãs Passionistas, 1997.

Sites da Família Passionista:

http://www.passionisti.org/santita/santita-antoniettafarani.pdf

http://www.passionistas.org.br

Para comunicar graças alcançadas e outras informações:

Irmãs Passionistas - Sede Provincial

Rua Cônego Eugênio Leite, 825

05414-012 Pinheiros - São Paulo  SP

Tel.: (011) 3062-4518  



 

Inserida por: Administrador fonte:  administrador


 
 
 
Elaboramos esse site
com o objetivo de divulgar nossos santos.
 
 

Hospedagem e
Desenvolvimento